Clínica de ECT Bernardon & Melzer

at rua capote valente, 432 cj 84, São Paulo, 05409-001 Brazil

Clínica de Eletroconvulsoterapia - Dr. Rafael Bernardon e Dra. Débora Melzer


Clínica de ECT Bernardon & Melzer
rua capote valente, 432 cj 84
São Paulo 05409-001
Brazil
Contact Phone
P: 11 3083-6837
Website
http://www.clinicaect.com

Description

Casos que necessitem de tratamento em eletroconvulsoterapia (ECT) podem ser avaliados e atendidos por nossa equipe, composta pelos Drs. Rafael Bernardon e Débora Melzer (Psiquiatras). As avaliações psiquiátricas e contatos são feitos no consultório, no endereço acima. O procedimento é realizado no hospital Santa Isabel (http://www.hsi.org.br/). Localizado na Santa Cecília, parte da Irmandade Santa Casa de SP, conta com toda a infraestrutura hospitalar moderna, profissionais treinados e hotelaria para atender adequadamente aos nossos pacientes com qualidade e segurança. Possui centro cirúrgico equipado para o procedimento de ECT, laboratório, diagnóstico por imagem e UTI de retaguarda, além de quartos para o repouso e recuperação.

Opening time

  • Mondays: 09:00- 17:45
  • Tuesdays: 09:00- 17:45
  • Wednesdays: 09:00- 17:45
  • Thursdays: 09:00- 17:45
  • Fridays: 09:00- 17:45
  • Saturdays: 09:00- 17:45
  • Sundays: 09:00- 17:45

Company Rating

4252 FB users likes Clínica de ECT Bernardon & Melzer, set it to 58 position in Likes Rating for São Paulo, Brazil in Doctor category

Concluindo mais uma publicação para a Revista Debates em Psiquiatria, da Associação Brasileira de Psiquiatria, sobre ECT em casos de depressão grave refratária, com sintomas psicóticos e de catatonia. Temos recebido cada vez mais casos de pacientes em estado grave, catatônicos, à beira da morte, que poderiam ter sido socorridos mais cedo, fosse o tratamento mais disponível, ou esta opção terapêutica tivesse sido pensada antes. Sem dúvidas, a triste constatação: morre-se de depressão no Brasil, e no mundo.

Published on 2014-06-02 01:35:41 GMT

Relato da vida real: hoje, na Psiquiatria da Santa Casa - CAISM (SUS), recebo pela 2.a vez paciente para ECT ambulatorial de um CAPS, de Guarulhos. Esteve conosco internado por meses, catatônico, sem esperança de sair do hospital. Com manutenção de ECT semanal e remédios, está de volta com a família. Ah, falando, andando, saindo de casa, interagindo, surpreendentemente bem, dentro das possibilidades. Não tem preço. Muito gratificante! (Dr. Rafael Bernardon)

Published on 2014-05-21 23:51:44 GMT

Normativas do CFM atualizadas pela nova resolução, que engloba todos os ATOS MÉDICOS em Psiquiatria (RESOLUÇÃO CFM nº 2.057/2013) CAPÍTULO IX DA ELETROCONVULSOTERAPIA Art. 21. A eletroconvulsoterapia (ECT) deve ser realizada em ambiente com infraestrutura adequada de suporte à vida e a procedimentos anestésicos e de recuperação, conforme o Manual de Vistoria e Fiscalização da Medicina no Brasil. Art. 22. A ECT é um ato médico; portanto, sua indicação, realização e acompanhamento são de responsabilidade dos médicos que dela participarem. Art. 23. A ECT tem indicações precisas e específicas na literatura médica, não se tratando de terapêutica de exceção. Parágrafo único. O uso da ECT em crianças (idade inferior a 16 anos) somente deve ser feito em condições excepcionais. Art. 24. A avaliação do estado clínico geral do paciente antes da ECT é obrigatória, em especial as condições cardiovasculares, respiratórias e neurológicas. Parágrafo único. Obriga-se o médico a observar as contraindicações formais para a aplicação da técnica. Art. 25. A ECT só pode ser realizada com anestesia. Art. 26. Os aparelhos de ECT devem ser máquinas modernas, registradas e certificadas pela Anvisa. Parágrafo único. O ambiente seguro para a administração deste procedimento está descrito no manual constante em anexo.